Publicado em 04/12/2017 às 16:12

André assume comando estadual do PMDB 17 dias após ser preso pela Polícia Federal

A conferência estadual do PMDB, realizada em Campo Grande serviu para conduzir André Puccinelli ao cargo de presidente regional do partido. Leia mais…

Humberto Marques

Campo Grande News

 

Puccinelli e as demais lideranças seguiram para o palanque principal (Foto - André Bittar)

A conferência estadual do PMDB, realizada em Campo Grande e que serviu para conduzir André Puccinelli ao cargo de presidente regional do partido, seguiu o script e serviu como palco de desagravos ao ex-governador, que neste ano se tornou alvo direto da operação Lama Asfáltica, bem como de suporte para sua pré-candidatura ao governo do Estado em 2018.

 

Além disso, estabeleceu que a nova direção estadual não tem a pretensão de fazer o partido caminhar sozinho, colocando as alianças com outras agremiações entre suas prioridades.

 

O evento foi oficialmente aberto às 8h30 pelo agora ex-presidente regional e atual tesoureiro do PMDB, o presidente da Assembleia Legislativa, Junior Mochi. Naquele momento, a Associação Nipo-Brasileira, no bairro Cidade Jardim, –sede da conferência– ainda não tinha ocupação máxima. Os militantes lotaram o local já por volta das 10h, quando Puccinelli chegou em seu Fiat Uno vermelho, ao lado de outros dirigentes.

 

Depois de uma breve coletiva, na qual admitiu a possibilidade de concorrer ao governo do Estado em 2018, Puccinelli e as demais lideranças seguiram para o palanque principal. Por cerca de duas horas, deputados estaduais, dirigentes de setores do PMDB, novos filiados, o deputado federal Carlos Marun e os senadores Simone Tebet e Waldemir Moka exaltaram a importância de contar com o ex-governador no comando do partido, ao mesmo tempo em que saíram em sua defesa.

 

Marun destacou os ataques contra o partido e Puccinelli. “Fomos atingidos por mentiras”, afirmou, prevendo na sequência que “aqueles que iam nos enfrentar com calúnias e injúrias deram com os burros n’água. Estamos mais fortes e mais preparados para reorganizar Mato Grosso do Sul”.

 

O parlamentar, antes do evento, há havia defendido a candidatura própria do partido ao governo, e que, se possível, que fosse assumida pelo líder de seu grupo político. “O PMDB quer André Puccinelli como candidato”.

 

Simone Tebet, por sua vez, destacou ter “respeito pelos promotores, procuradores, tribunais da Justiça e auditores”, mas que via “excessos de órgãos de controle e do Judiciário” nos fatos recentes envolvendo Puccinelli, que para ela não teve o devido direito ao contraditório. A senadora reforçara que sua fala “era um desagravo” ao ex-prefeito e ex-governador, de quem se considera “filha política”.

 

Em outros discursos, como dos deputados estaduais Paulo Siufi e Márcio Fernandes, pedidos de “Volta, André” foram entoados pelos militantes. Já Eduardo Rocha reforçou que Waldeli dos Santos Rosa, prefeito de Costa Rica recém-filiado ao PMDB, também é opção para a disputa do Parque dos Poderes –ele, porém, reforça que Puccinelli segue como nome favorito do partido.

 

Alianças

 

Já o ex-governador e novo presidente regional do PMDB estabeleceu algumas metas da agremiação para 2018. Entre elas, “a obrigação de defender o legado” de gestões peemedebistas em Campo Grande e Mato Grosso do Sul, citando números de sua última gestão no Executivo estadual nas áreas de habitação e infraestrutura, entre outros.

 

Outro objetivo envolve as alianças e a formação de bancadas legislativas. Em pelo menos dois momentos de sua fala, Puccinelli reforçou a importância de composições com outros partidos –citando, por exemplo, o PTB de Nelsinho Trad e o PSD do prefeito Marquinhos Trad, além do PSB, ao qual a deputada federal Tereza Cristina era filiada.

 

“Uma andorinha só não faz verão. Precisamos de deputados estaduais de nosso partido, pois esta é uma convenção do PMDB, mas também com partidos aliados para levarmos Mato Grosso do Sul ao desenvolvimento”, declarou Puccinelli, afirmando ainda que “não discriminamos ninguém”.

 

Além disso, o presidente regional salientou que as propostas de parceria eleitoral serão discutidas dentro do PMDB, “e não só com o André”.

 

Ao final do evento, já em lágrimas, Puccinelli recitou trecho da música “Terra Boa”, de Almir Sater –“Nada é impossível/nada nos detém/só vai ser preciso/você querer também”.

pizzaria fortaleza
Barbara Ballestero

Deixe o seu comentário

Seu email não será compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com * (asterisco)

Chip Carimbos

estadonoticias.com.br © 2012 Estado Notícias - Todos os direitos reservados.