Publicado em 06/12/2017 às 15:02

Geraldo Resende recebeu R$ 387 mil em ‘verba indenizatória’ este ano

Gastos dos deputados federais do MS somam quase R$ 3,5 milhões.

 

 

 

Gastos

 

Em tempos de crise, onde inclusive eventos natalinos são barrados pela Justiça, o único representante de Dourados na Câmara Federal, o deputado Geraldo Resende (PSDB) recebeu só neste ano (até novembro), a bagatela de R$ 387.698,00 a título de “cota para exercício da atividade parlamentar”, a antiga “verba indenizatória” destinada às despesas parlamentar, como, passagens aéreas, telefonia, hospedagem, combustível, entre outros. Sayonara!

 

Mais gastos

 

Somando os gastos da ‘cota parlamentar’ dos deputados federais que representam o Mato Grosso do Sul, o valor total chega em R$ 3.412.028,39. Lembrando que o salário bruto de um deputado federal é R$ 33.763,00. O liquido R$ 24.970,00.

 

Ainda gastos

 

Entre os parlamentares do MS, a lista é liderada pelo deputado Dagoberto Nogueira (PDT), com gastos de R$ 473.656,36, totalizada entre janeiro a novembro. O segundo lugar fica o deputado petista Vander Loubet, com R$ 470.512,50. Já o deputado peemedebista Carlos Marun (aquele da ‘dancinha’), usou no mesmo período o valor de R$ 446.085,70.

 

Outros

 

Seguindo a lista de gastos dos parlamentares, o democrata Mandetta utilizou entre janeiro a novembro o valor de R$ 429.624,84, seguido por Zeca do PT que gastou R$ 409.323,06, no mesmo período. Fechando a lista, segue o deputado Elizeu Dionizio (PSDB), com gastos de R$ 406.828,48 e a deputada Tereza Cristina (PSB), com R$ 388.299,17.

 

Sem verba

 

Ressaltando que a “verba indenizatória” é até hoje muito debatida nas Câmaras Municipais do Mato Grosso do Sul, sendo que em muitas cidades, incluindo no interior, este tipo de “ajuda de custo” aos vereadores foi bloqueada pela Justiça.

 

 

Transparência

 

O dados apresentados pela coluna Rapidinhas! estão disponíveis no Portal Transparência da Câmara dos Deputados, no link – http://www.camara.gov.br/cota-parlamentar/index.jsp.

 

Sem brilho

 

E por falar em “Dourados Brilha”, a não realização do evento este ano na cidade, por determinação da Justiça, deixou a Praça Antônio João quase um deserto. Pelo visto até o prédio da Catedral localizada no calçadão da praça vai ficar sem a tradicional iluminação.

 

Sem movimento

 

A ‘tranquilidade’ em um dos principais cartões postais de Dourados é tanta, que ontem (5) a tarde um grupo de crianças indígenas foi retirado da piscina que da lugar a fonte luminosa. Um vídeo dos indiozinhos banhando-se no local foi até divulgado em grupos de whats-app.

 

Chacota

 

Passarinho atento aos últimos acontecimentos na terrinha de Marcelino Pires comentou que a promotora que “comemorou” em rede social a suspensão do “Dourados Brilha”, era toda sorrisos, na cerimônia em que a prefeita Délia Razuk inaugurou a sede do segundo Conselho Tutelar, na manhã desta quarta-feira (6).

 

Mais chacota

 

Segundo o pássaro observador, a ‘combativa promotora’ não economizou elogios e reconhecimentos aos trabalhos da prefeita Délia, principalmente na área da Proteção à Criança e Adolescente, desde quando a chefe do Executivo foi vereadora. Vixe!

 

Jubileu de Prata

 

Bacharéis formados em 1992 – 14ª Turma de Direito da Unigran, se reúnem no próximo final de semana (8 e 9) em comemoração aos 25 anos de formação acadêmica no referido curso. No sábado está previsto o descerramento da “Placa 25 anos”, na escadaria do Bloco 1, seguindo com almoço no salão de festas da Capela Santa Cruz.

 

LEIA TAMBÉM -  SHOW DO ALMIR SATER QUE SERIA EM DOURADOS É TRANSFERIDO PARA SÃO GABRIEL DO OESTE

 

Sem nenhuma decoração natalina, Praça Antônio João fica deserta em Dourados (Foto – João Pires)

 

 João Pires

ESTADO NOTÍCIAS

pizzaria fortaleza
Barbara Ballestero

Há 1 Comentário

  1. Rodrigo Pael em 07/12/2017 às 08:51

    João Pires, meu nome é Rodrigo Pael e sou assessor do deputado Geraldo Resende. Com todo o respeito, entro em contato para apontar alguns detalhes importantes de sua coluna: o primeiro deles é que o título não expressa o que há de mais importante na íntegra do seu texto. O deputado Geraldo Resende é o parlamentar que menos utilizou a verba constitucional para o exercício do seu mandato, talvez este deveria ter sido o título da coluna, mas para essa informação não há destaque. Outro ponto importante é que a utilização deste valor é totalmente lícita e grande parte dos deputados utiliza este recurso para a divulgação e prestação de contas de sua atividade, ou seja, com a imprensa. Esses lavores estão disponíveis com toda a transparência no site da Câmara. Concluindo, estamos sempre à disposição quando citados. Grato.

Deixe o seu comentário

Seu email não será compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com * (asterisco)

Chip Carimbos

estadonoticias.com.br © 2012 Estado Notícias - Todos os direitos reservados.